Geral Política

Boletins da prefeitura sobre o coronavírus levantam suspeitas

Diferença entre casos computados pelo Ministério da Saúde e município chega a 1.561 pessoas infectadas a menos

25/09/2020 10h58 Atualizada há 1 mês
Por: Da Redação Fonte: Da Redação
Mais um escândalo na saúde em Paulínia (Crédito: arquivo)
Mais um escândalo na saúde em Paulínia (Crédito: arquivo)

A diferença entre os números de ocorrências da Covid-19 apresentados pela Prefeitura de Paulínia, Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Ministério da Saúde tem gerado preocupação entre os moradores da cidade. Existe a desconfiança de que por questões políticas, o governo Du Cazellato (PL) estaria fazendo “manobras proibidas” com as notificações. 

Por exemplo, no Boletim da Secretaria de Saúde local, desta quinta-feira (24), o total de pessoas infectadas pelo coronavírus, desde o início da pandemia, era de 3.434. Já o número divulgado pelo Ministério da Saúde é de 4.995. A diferença é de 1.561 ocorrências. 

O Observatório da Puc-Campinas, diariamente, tem apresentado informações e números de todas as cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) sobre a pandemia. Os dados da instituição de ensino também são diferentes dos apresentados pela administração Cazellato. 

Segundo  Ministério da Saúde, com a subnotificação dos casos de coronavírus, os gestores públicos passam a ter informações imprecisas para criar políticas públicas para combater a pandemia. 

Moradores

O pedreiro José Tavares Costa, 40, morador do Marieta Dian relatou que considera “duvidosa” a situação.  “A gente fica sem saber em quem acreditar e com mais medo ainda. As autoridades são obrigadas a informar a verdade sobre o que está acontecendo”, disse.

A auxiliar de serviços gerais Rosana Cardoso, 36, também moradora do Marieta Dian, disse que a situação é “difícil”. “Fica parecendo que estão escondendo informações do povo. Quero saber a verdade, para cuidar da minha família da melhor maneira possível”, afirmou.