Geral Economia

Mais um fôlego para a economia com a liberação do saque emergencial

Os trabalhadores nascidos em outubro estão prestes a receber mais uma parcela do Saque Emergencial

08/09/2020 15h32
Por: Da Redação Fonte: Agência Brasil
Mais um fôlego para a economia com a liberação do saque emergencial

A Caixa credita hoje para atender 5 milhões de trabalhadores nascidos em outubro., somando o valor de R$ 3,2 bilhões

O pagamento será feito por meio da conta poupança digital da Caixa Econômica Federal.  

Apesar de a Medida Provisória 946, que instituiu o saque emergencial, ter perdido a validade, a Caixa manteve o calendário de saques, com base no princípio da segurança jurídica. Ao todo, o governo pretende injetar R$ 37,8 bilhões na economia, beneficiando cerca de 60 milhões de pessoas.

Esse valor irá impactar diretamente na economia das cidades, principalmente para a quitação das contas básicas, comprometidas em função dos efeitos da pandemia do novo coronavírus.

O valor abrange tanto as contas ativas quanto as inativas.

Nesta fase, o dinheiro poderá ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem. A ferramenta permite o pagamento de boletos (água, luz, telefone), compras com cartão de débito virtual em sites e compras com código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de cartão de lojas parceiras, com débito instantâneo do saldo da poupança digital.

Liberação para saque

O dinheiro só será liberado para saque ou transferência para outra conta bancária a partir de 31 de outubro, para os trabalhadores nascidos nesse mês. O calendário de crédito na conta poupança digital e de saques foi estabelecido com base no mês de nascimento do trabalhador.

Até agora, a Caixa creditou o saque emergencial do FGTS para os trabalhadores nascidos de janeiro a setembro. Os beneficiários nascidos em abril tiveram o dinheiro liberado para saque no último sábado (5).

O pagamento está sendo realizado conforme calendário a seguir:

Caixa credita hoje saque emergencial do FGTS para nascidos em outubro

Cinco milhões de trabalhadores receberão R$ 3,2 bilhões