WhatsApp

Envie fotos e vídeos pelo WhatsApp: 19 98727-4956

reder
anuncie aqui
Walter
Paulínia

Conselho de Medicina também investigará a morte de menino no HMP

Secretaria de Saúde de Paulínia também investiga o caso

23/10/2019 11h12Atualizado há 4 semanas
Por: Zatum Notícias
Fonte: Raoni Zambi
Nícolas faleceu no domingo, no Hospital Universitário de Jundiaí (Crédito: arquivo pessoal)
Nícolas faleceu no domingo, no Hospital Universitário de Jundiaí (Crédito: arquivo pessoal)

O Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) informou na manhã desta quarta-feira (23) que investigará a morte Nícolas Samuel Ribeiro de Oliveira, de 9 anos. Após ser levado três vezes ao HMP (Hospital Municipal de Paulínia), o garoto acabou falecendo no domingo (20), na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital Universitário de Jundiaí. A Secretaria de Saúde também instaurou uma investigação sobre o caso. 

A mãe da criança, a dona de casa Kelen Regina Ribeiro, 29 anos, relatou que Nícolas foi levado duas vezes ao hospital, no domingo (13) e terça-feira (15). O garoto relatou que estava com dor de barriga e se recusava a comer. Nas duas ocasiões, os profissionais que atenderam a criança disseram que o garoto tinha uma simples virose e receitaram medicamentos como soro, Prasil e Dipirona. 

Levado mais uma vez ao HMP, na quinta-feira (17), uma médica fez um exame de Raio X, e disse que Nícolas tinha pneumonia. Como o quadro do estudante piorava, na sexta-feira (18) ele foi levado para Jundiaí. De acordo com Kelen, no Hospital Universitário os exames apontaram que seu filho não tinha pneumonia, mas água no pulmão e que seus dois rins tinham parado. Em Paulínia, nada disso foi dito para a dona de casa. 

“Sou a favor da investigação. Meu filho foi levado três vezes ao Hospital de Paulínia e não foram realizados os exames adequados. Não quero que nenhuma mãe passe pela mesma situação. Nícolas era um bom filho e um menino alegre”, contou Kelen. 

Nesta quarta pela manhã, duas profissionais do Cremesp e uma funcionária do HMP estiveram reunidas com Kelen, para investigar a história. A dona de casa relatou ainda que pretende fazer um BO (Boletim de Ocorrência) e que seu advogado estuda quais medidas jurídicas irá tomar. 

Nota do Cremesp

“O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) informa que, até o momento, não foi acionado oficialmente sobre esta ocorrência. No entanto, diante da exposição do caso na mídia, vai instaurar sindicância (ex officio) para apurar eventuais infrações éticas cometidas por médicos no exercício da profissão. No caso em questão, o Cremesp investigará se houve indícios de má conduta ética e profissional”. 

Para ficar bem informado curta a página no Facebook:  https://www.facebook.com/zatumnoticias 

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.