Sexta, 22 de Outubro de 2021
21°

Poucas nuvens

Campinas - SP

Dólar
R$ 5,70
Euro
R$ 6,64
Peso Arg.
R$ 0,06
Cidades Paulínia

EXCLUSIVO: Autor de denúncia que resultou em Operação da Polícia Federal dá entrevista ao Zatum

Rogério Nubor explicou seu ponto de vista sobre as graves acusações de corrupção no governo Du Cazellato

07/10/2021 às 16h14 Atualizada em 07/10/2021 às 16h48
Por: Zatum Notícias Fonte: Raoni Zambi
Compartilhe:
Rogério Nubor tem histórico de batalhas contra a corrupção em Paulínia (Crédito: Zatum Imagem)
Rogério Nubor tem histórico de batalhas contra a corrupção em Paulínia (Crédito: Zatum Imagem)

Rogério Nubor, 45 anos, é o autor das denúncias que resultaram na Operação Carga Implosiva, realizada pela PF (Polícia Federal) no dia 21 de setembro passado. Na ocasião, casas de aliados do prefeito Du Cazellato e repartições do Paço foram alvo de agentes federais. 

Segundo o delegado responsável pelo caso, Edson Geraldo de Souza, existem provas cabais de que gestores públicos fraudaram um processo licitatório que resultaria na construção de dois hospitais de campanha. Os prejuízos aos cofres públicos poderiam chegar a R$ 4,1 milhões, no mínimo. Leia a matéria completa sobre o assunto.

Em sua trajetória, Nubor defendeu causas relacionadas à saúde pública, meio ambiente e é um feroz combatente contra a corrupção. Autonômo e morador de Paulínia há 35 anos, ele sonha com o dia em que os governantes da cidade sejam realmente honestos e interessados no bem estar da comunidade. 

Nesta entrevista exclusiva, o denunciante respondeu ao Portal Zatum seu ponto de vista sobre a ação da Polícia Federal. Confira!

Zatum: Primeiramente, obrigado pela entrevista e qual a sua análise sobre os últimos acontecimentos envolvendo graves suspeitas de corrupção no governo Du Cazellato?

Rogério Nubor: Quero agradecer a oportunidade de poder apresentar a real versão dos fatos, que se comprovam por si mesmos.

Fico triste por temos de gastar tempo desmentindo narrativas criadas para desviar a atenção da população da realidade da nossa cidade, sendo que poderíamos estar falando de melhorias para a nossa cidade, debatendo Políticas Públicas para o nosso município.

Minha trajetória sempre se pautou na legalidade e na defesa dos interesses dos munícipes, algo que faço a anos participando das reuniões dos Conselhos Municipais e em todas as Audiências Públicas as quais tenho a oportunidade, apesar da forma desastrosa que os governantes de Paulínia tratam a sua função de garantir a Participação Popular na elaboração de Políticas Públicas.

Com a arrecadação de Paulínia, poderíamos proporcionar uma cidade que serviria de exemplo para o Brasil e para o Mundo, mas infelizmente Paulínia convive há muitos anos com maus gestores!

Hoje os tempos são outros, a informação passou a ser a grande arma para fiscalizar os serviços públicos apresentados ao cidadão, e os políticos de nossa cidade parecem que ainda não entenderam os novos tempos e a nova política que a população anseia.

Zatum: Como você recebeu a notícia da operação "carga implosiva" realizada pela Polícia Federal em nossa cidade?

Rogério Nubor: Como Cidadão Paulinense, recebi esta notícia com profunda tristeza e indignação, venho acompanhando o caso pois sei da sua gravidade e sabia que a PF está investigando. Infelizmente, continuamos vendo as questões do município nas páginas policiais e o munícipe não aguenta mais.

O que mais chama atenção é que os fatos teriam ocorrido justamente quando milhares de pessoas precisavam de atendimento médico, em virtude da pandemia da Covid-19 que vitimou milhares de pessoas em nosso país. Em momentos como estes, questionamos se ainda existe algum respeito pela vida, que deveria ser o bem mais precioso de todos.

Ademais, a forma como esta licitação aconteceu confronta a maioria dos princípios que regem os procedimentos licitatórios, existindo no processo um e-mail que teria sido enviado pelo endereço eletrônico Oficial do Gabinete do Prefeito, através do qual informa que a Empresa se sagrou vencedora da “suposta licitação” e pede que sejam iniciados os preparativos para o início do serviço autorizando a montagem dos Hospitais de Campanha.  Fato agravado pela participação de diversas secretarias municipais.  

Temos que parabenizar aos agentes envolvidos na investigação desde o início, pois evitaram um dano irreparável aos Cofres Públicos, que com certeza faria falta ao município, pois ainda hoje o Cidadão Paulinense sofre com problemas básicos na Saúde Municipal, por exemplo, a constante falta de medicamentos nos postos de saúde.

Zatum: Como o senhor ficou sabendo dos fatos e em quais órgãos fez as denúncias?

Rogério Nubor: Recebi alguns documentos que continham informações relacionadas ao procedimento de Licitação para Contratação de empresa para montagem de 02 Hospitais de Campanha em nossa cidade. Um relatório que continha todas as supostas irregularidades investigadas pela Polícia Civil contemplando os envolvidos e toda a documentação pertinente, contemplando também a tomada de preço e autorização de serviço.

Diante da gravidade dos fatos, cumpri meu papel de cidadão encaminhando a denúncia ao MPSP (Ministério Público do Estado de São Paulo), ao GAECO, ao MPF (Ministério Público Federal) e a Polícia Federal para que pudessem, no âmbito de suas competências, apurar todos os fatos.

Zatum:O que você espera que aconteça e em sua opinião quais serão os desdobramentos?

Rogério Nubor: Por confiar no competente trabalho das instituições, espero que os fatos sejam devidamente apurados em toda extensão. Na hipótese de se comprovar eventual prejuízo aos cofres públicos e/ou violações do ordenamento jurídico, espero o ressarcimento pelos responsáveis, além de punições exemplares para todos os que tenham transgredido da lei.

Vamos aguardar as próximas fases das investigações da Policia Federal e dos demais órgãos. A população de nossa cidade e do nosso país está cansada de conviver com tantos casos de impunidade.

A ganância foi tanta que perderam o discernimento ao tentarem lucrar sobre o sofrimento das famílias de Paulínia, pois as vidas que poderiam ter sido salvas, estas não tem preço que a reparem.

Zatum: O que precisa ser feito para minimizar os casos de corrupção em Paulínia?

Rogério Nubor: Com toda certeza a Corrupção é um dos piores problemas existentes, tanto na administração da nossa cidade como também é um reflexo do que acontece nas últimas décadas na administração pública do nosso país.

A falta de recursos para os setores essenciais reflete diretamente na vida de cada cidadão, que sofre com a deficiência dos serviços públicos. Entendo que muito tem sido feito pelas atuantes forças policiais e pelo Ministério Público, mas precisamos que o Estado dê todas as condições para que haja um constante aprimoramento dessa imprescindível tarefa, além da necessidade de reformas em nossa legislação para conferir maior celeridade, rigor e efetividade nas punições daqueles que venham ferir a lei.

O cidadão não aceita mais o descaso e dilapidação dos recursos da nossa cidade. Que acabam culminando com a impunidade dos responsáveis, sendo protegidos com a morosidade da justiça.

Já passou da hora de moralizar a postura dos nossos governantes mostrando a todos que a justiça prevalece. Acredito que a população tem um importante papel nessa luta, que é de todo cidadão.

Zatum: Muitos disseram que o documento que embasou essa denúncia era falso, como o senhor vê isso?

Rogério Nubor: Vejo isso como um grande desespero daqueles que parecem não ter qualquer respeito com o interesse público. Quanto ao documento, além de ser autêntico, serviu para fundamentar todas as denúncias que fiz, no Ministério Público, no GAECO, no Ministério Público Federal e na Polícia Federal.

Quero deixar claro que em momento algum fui acusado pela Justiça de ter falsificado qualquer documento. Quem alegou que os documentos seriam falsos, foi o PREFEITO em sua defesa, pois a desqualificação foi a única saída que lhe restou contra a vasta documentação apresentada, e como tudo que é forjado não se sustenta, agora a população vai ter ciência que ele não está atuando na legalidade e ainda que ele está mal assessorado.

Já o Ministério Público, agindo dentro de suas atribuições, pediu para que fosse investigada  alegada falsidade documental, e em caso do documento não ser falso, também questiona o motivo de o mesmo não se encontrar nos autos do Inquérito Policial. Uma coisa eu posso garantir: eu sou a pessoa que mais tem interesse de que esta investigação seja concluída, e toda a verdade esclarecida.

Será que alguém acredita que a Policia Federal realizaria uma Operação com mais de 60 agentes envolvidos, em várias cidades e em 02 estados, embasados em uma denúncia com documentação falsa ?

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.