Cidades Comportamento

Cidades do interior espelham-se em São Paulo

Volta às aulas: como e quando, eis a questão...

29/09/2020 09h02
Por: Da Redação Fonte: Agência Brasil
Polêmica na volta às aulas (Andressa Anhoette - Agência Brasil)
Polêmica na volta às aulas (Andressa Anhoette - Agência Brasil)

A polêmica em torno dos critérios que definem as regras para o retorno escolar persiste por um único motivo: desconhecimento.

O comportamento do covid-19 ainda é estudado e as inúmeras variáveis desafiam a classe médica e os cientistas ao redor do mundo. A descoberta de novos sintomas e sequelas é recorrentes. Resumo: ainda não temos informações precisas da real eficiência das estratégias de isolamento no curto e a longo prazo. No Brasil, o tema central é a volta às aulas e como deve se dar. 

A prefeitura de São Paulo é o centro das atenções. A liberação das aulas presenciais para alunos do ensino superior ou para atividades extracurriculares do ensino infantil, fundamental e médio será a paritr de 7 de outubro.

O prefeito Bruno Covas estuda a possibilidade de retorno aos estudantes das escolas públicas e particulares a partir do dia 3 de novembro.

Mas o ponto mais polêmico são as crianças. Afinal, como os idosos enxergam o risco das crianças voltarem a conviver em aglomerações? Somente em São Paulo, são 340 mil idosos da cidade que coabitam com crianças e adolescentes em idade escolar.

A apreensão dos idosos tem sentido. Não existe uma vacina testada e aprovada. O vírus continua a circular. É desconhecido. As taxas de contágio decrescem no Brasil, no entanto, a apreensão persiste com sistemas de monitoramento ativos.

Nas cidades do interior paulista o monitoramento é possível com maior eficiência, no entanto o temor para idosos com problemas de diabetes, hipertensão e demais comorbidades deixam toda a população apreensiva. 

As opiniões são divididas. Muitos acham que as crianças e adolescentes devem permanecer em casa nas aulas online, caso sejam opcionais até o fim da pandemia.

A potência do vírus aumenta com o tempo? Quem já se contaminou está imune? Quando a vacina será aplicada? Será segura? Como funciona a imunização de rebanho? As terapias alternativas funcionam? As crianças são vetores para transmitir para seus familiares?