Cidades Tristeza

Menina de dez anos morre de coronavírus

HMP não tem vaga de UTI infantil e transferência foi às pressas

31/08/2020 17h46
Por: Zatum Notícias Fonte: Raoni Zambi
HMP não tem mais vagas de UTI para pacientes de Covid-19 (Crédito: divulgação)
HMP não tem mais vagas de UTI para pacientes de Covid-19 (Crédito: divulgação)

Uma menina de dez anos de idade, que morava com seus familiares no João Aranha, em Paulínia, morreu em decorrência do coronavírus na terça-feira (25). Ela apresentou problemas respiratórios no dia 16 deste mês.  

No dia 20,  ela foi internada no HMP (Hospital Municipal de Paulínia) e foi realizado o exame SWAB, que deu negativo. Em seguida, um exame rápido constatou que a criança de fato estava com o novo coronavírus. 

O quadro de saúde se agravou e a menina precisou ser transferida para um hospital da rede pública de Campinas. 

Como precisava de uma vaga infantil na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), que não tem Paulínia, foi necessário fazer a transferência às pressas. Trata-se da primeira morte infantil em razão do coronavírus no município. A criança tinha histórico de problemas alérgicos, segundo a administração. 

Mortes

Com a morte da criança de apenas dez anos, Paulínia chegou a 65 mortos em razão da pandemia. No total, 2957 pessoas foram infectadas pela doença na cidade até a tarde de quinta-feira (27). Nas últimas 24 horas, 30 novos casos de Covid-19 foram registrados no município, segundo números da Secretaria de Saúde. 

Para piorar, a cidade está com 100% dos leitos de UTI ocupados, com 25 pessoas internadas, desde quarta-feira (25). Se um morador precisar ser internado, a Secretaria de Saúde terá que encaminhá-lo para alguma cidade da região, com menos recursos financeiros. 

“Estamos assustados e tristes com toda a situação que acontece em Paulínia, no combate à pandemia. O governo deveria ter tomado medidas compatíveis com a riqueza da cidade para evitar tantas mortes e sofrimento”, afirmou a dona de casa Maria Thereza Cardoso Bortolon, 40 anos. 

Mais lidas