Cidades Dinheiro Público

Cazellato é suspeito de desviar dinheiro da saúde no combate ao coronavírus

Compra de quatro respiradores usados por R$ 100 mil tem levantado suspeitas

26/05/2020 18h22 Atualizada há 4 meses
Por: Zatum Notícias Fonte: Raoni Zambi
Compra de quatro respiradores usados por R$ 400 mil por Cazellato tem gerado denúncias no Conselho de Saúde (Crédito: Jornal de Paulínia)
Compra de quatro respiradores usados por R$ 400 mil por Cazellato tem gerado denúncias no Conselho de Saúde (Crédito: Jornal de Paulínia)

O prefeito de Paulínia, Du Cazellato (PSDB), é acusado de desviar dinheiro público da saúde no combate ao coronavírus. De acordo com o presidente local do Conselho Municipal de Saúde, Jair Porcel Pinto, a compra de quatro respiradores usados, por R$ 400 mil, tem sido alvo de diversas denúncias. 

Na segunda-feira (25), o presidente conselho divulgou uma nota na qual afirma que o órgão tem sido impedido de fiscalizar os gastos da administração relacionados à pandemia. 

Jair relatou que os conselheiros também foram impedidos de participar do comitê responsável pela contratação de aproximadamente 400 profissionais da saúde, em caráter emergencial por conta do coronavírus. Existe a suspeita de que as contratações serão "politiqueiras", para beneficiar aliados, com foco nas eleições municipais de outubro. 

Ele relatou que além de não existir demanda ou trabalho que justifique as contratações em regime de urgência, a Secretaria de Saúde de Paulínia tem cadastros de reservas, com pessoas que fizeram concurso público e poderiam ser chamadas para trabalhar. 

Atrasos

Além disso, os gastos da saúde do último quadrimestre, que deveriam ter sido entregue aos conselheiros no dia 18 de maio, foram encaminhados somente nesta terça-feira (26), com oito dias de atraso. Por isso, a reunião do Conselho de Saúde para avaliar como o dinheiro público foi usado, marcada para a quarta-feira (27), foi cancelada.

“Queremos lisura e a participação do Conselho de Saúde nas ações contra o coronavírus. Estamos recebendo denúncias graves de desvio de recursos públicos e não queremos que a população seja prejudicada”, disse Jair. 

Para garantir que o conselho participe das deliberações da Secretaria de Saúde, Jair relatou que encaminhou as queixas para o  MP (Ministério Público). 

Conselheiro

O conselheiro Antonio Castro relatou que houve atraso na entrega de documentos ao conselho. “As coisas ainda estão sendo apuradas. Ocorreu que houve  um atraso na apresentação das contas ao conselho. Existe a alegação pelo governo, de que  esse atraso se deu em face do problemas causados pela doença, que obrigou ocasionou o afastamento de um significativo quarto de recursos humanos”, explicou Castro. 

Outro lado

Em nota, a administração Cazellato disse que ficou “surpresa” e que as afirmações de Jair Porcel Pinto “deturpam a compreensão dos fatos quanto o processo de prestação de contas”. 

“O Secretário de Saúde, doutor Fábio Alves, tem estado presente nos espaços formais das reuniões, bem como toda a disponibilidade a distância, seja em qualquer horário que a comunicação e intervenção se faça presente”, diz trecho da nota enviada.