Cidades Paulínia

Notícia falsa contra Nani Moura faz idosa de noventa anos ficar deprimida

Principal acusado é Carlos Pazetti, que hoje administra um grupo de Facebook

21/01/2020 17h37 Atualizada há 8 meses
Por: Zatum Notícias Fonte: Raoni Zambi
A professora Maria Iolanda e sua mãe, Dona Nena, que está chateada por conta de notícias falsas (Crédito: Zatum Imagem)
A professora Maria Iolanda e sua mãe, Dona Nena, que está chateada por conta de notícias falsas (Crédito: Zatum Imagem)

A divulgação de uma notícia com informações mentirosas fez a aposentada Yolanda dos Santos Ferreira, de 90 anos, mais conhecida como Dona Nena, ficar deprimida  e a chorar em algumas ocasiões. Os acusados pela divulgação da “fake news” são ligados ao prefeito Du Cazellato (PSDB). 

Na semana passada, no auge da crise do transporte público, surgiram acusações de que Nani Moura (MDB) havia recebido doações, na eleição suplementar de outubro passado, em dinheiro de  Armando Ferreira, que faleceu em de janeiro de 1990 e foi marido de de Dona Nena por 40 anos.

As acusações falsas afirmavam que Armando tinha falecido em outubro de 2018, e que por meio de manobras irregulares, a campanha de Nani recebeu a doação de R$ 2 mil do homem. 

Os fatos

Na verdade, Nena alugou um imóvel durante o período da eleição suplementar e recebeu o valor integral, conforme o contrato estabelecia. A residência alugada foi registrada, no 2º Cartório de Imóveis de Campinas, com o CPF do marido falecido, que o casal usava em conjunto ao longo do tempo em que viveram juntos. A Justiça Eleitoral fez questionamentos sobre a questão e o CPF da aposentada foi acrescentado, sem nenhum tipo de punição ou advertência para Nani. 

Dona Nena relatou que ficou bastante abalada por ter o nome de seu grande amor envolvido em acusações mentirosas. “Fiquei muito triste, chorei bastante e quando lembro das mentiras ainda choro. Meu marido foi um homem muito bom, trabalhador e que ajudava as pessoas. É difícil acreditar que existe gente capaz de tudo por dinheiro e poder”, disse a idosa, com lágrimas nos olhos. 

Ela relatou que o marido foi o pioneiro no tratamento de água em Paulínia, e um dos criadores do antigo SAE (Serviço de Água e Esgoto). Armando foi funcionário público da prefeitura e também gostava muito de carnaval, colaborando na organização de diversos desfiles de Paulínia. 

Filha 

A professora aposentada Maria Iolanda dos Santos Ferreira, 53 anos, filha de Dona Nena, afirmou ter ficado “revoltada” com a história. “A família toda ficou preocupada com o bem estar emocional da minha mãe. Estamos analisando quais medidas legais podemos tomar, para que situações assim não se repitam. Também respeitamos muito a memória de meu pai, que foi um homem honrado”, contou a professora. 

Acusado

O Portal Zatum apurou que o principal suspeito de criar e propagar as notícias falsas, que abalaram psicologicamente a mulher de noventa anos, é Carlos Pazetti, que atualmente administra um grupo no Facebook. A página na internet é conhecida por caluniar e difamar adversários políticos de Pazetti e sua trupe. 

Procurado para se manifestar sobre o assunto, Cazellato ficou em silêncio. Já Pazetti fez disse que não é ex-médico, e fez ameaças contra o editor do texto. "Raoni, você não tem ideia da besteira que fez. Não vou te dar ibope. Simplesmente resolvo problemas. Passar bem. E tudo tem consequências", foram algumas das frases que o administrador de grupo de Facebook enviou para a reportagem.  O espaço está aberto para manifestações. 

Nota de Nani Moura sobre o ocorrido: 

Não existe nenhuma irregularidade ou ilegalidade com as contas de Nani Moura (MDB) referente ao pleito suplementar de 2019, em Paulínia.  No entanto, por conta do caos instalado na cidade com a vinda da nova empresa de ônibus, de responsabilidade total do atual gestor, a emedebista passou a ser alvo de notícias falsas e ataques criminosos. O objetivo é criar uma cortina de fumaça, com o intuito de ludibriar parte da população, já cansada de ser enganada e sofrer na pele as consequências das artimanhas de tais malandros. 

Quanto aos questionamentos, a campanha de Nani locou um imóvel de Yolanda dos Santos Ferreira, cujo CPF é 130.062.248-25. Ela é viúva de  Armando Ferreira. O registro do imóvel, no 2º Cartório de Imóveis de Campinas,  consta que os dois usaram o CPF 143.098.318-34, do falecido, na aquisição da propriedade. Tal equívoco já foi corrigido junto ao SPCE (Sistema de Prestação de Contas Eleitorais), sem nenhum dano ou punição para a emedebista. O CPF certo, de Yolanda, foi informado para a Justiça Eleitoral, sem nenhum problema. 

Assim, o imóvel foi locado para a campanha de Nani, nas conformidades da legislação eleitoral. Não houve nenhuma doação em dinheiro. 

Importante ressaltar que todas as contas, das campanhas do ano passado, estão sob análise técnica na Justiça Eleitoral. Portanto, qualquer julgamento  antecipado, demonstra e comprova a má-fé. 

Por fim, cabe ressaltar que o corpo jurídico da emedebista estuda quais medidas judiciais, cíveis e criminais, irá tomar contra os divulgadores de mentiras e narrativas distorcidas. Inclusive, contra o autor da montagem em que foi usado o logotipo de maneira fraudulenta do Portal G1 Campinas,  comprovando mais uma vez que se trata de propagação criminosa de “fake news”. 

Para ficar bem informado curta a página no Facebook: https://www.facebook.com/zatumnoticias